CONDER leva serviços de saúde aos feirantes de São Joaquim

Área de Atuação
Equipamentos e Qualificação Urbanística
.

Uma manhã voltada aos cuidados com a saúde. Foi assim nesta quinta-feira (28), quando os feirantes de São Joaquim, junto com seus familiares, puderam realizar consultas e exames clínicos, além de receber orientações sobre os riscos e prevenção do câncer da próstata. A iniciativa integra o termo de cooperação técnica firmado entre a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (CONDER), responsável pela execução da obra de requalificação do local, e a Fundação José Silveira, instituição filantrópica que atua há mais de 80 anos no atendimento à saúde na Bahia.

No Galpão de Eventos da Feira de São Joaquim, José Nunes Guedes ouvia com atenção as orientações da equipe de Saúde. Ele, que há 31 anos é proprietário do Bar e Restaurante Quebra Copo, elogiou a ação: “Saúde é tudo. É o que nos dar condições de trabalhar”, afirma. Ele também comentou sobre o projeto de requalificação da feira, referindo-se às melhorias implantadas no espaço, onde está localizado seu estabelecimento comercial. “Antes, quando chovia, enchia de lama. Era muita sujeira. Hoje, é outra coisa e minha clientela elogia. Aguardamos a conclusão das obras. Nossa expectativa é que fique muito bom”.

As obras nas áreas de infraestrutura urbana e habitação executadas pela CONDER contemplam também ações na promoção da saúde e cuidados com o meio ambiente, assim como capacitação e geração de emprego e renda para as comunidades beneficiadas. São atividades desenvolvidas dentro do Projeto Integrado de Desenvolvimento Sócio-Ambiental (PIDSA). “Estaremos de volta à Feira de São Joaquim na primeira quinzena de dezembro, trazendo uma Feira de Saúde com unidades móveis para consultas e exames em várias especialidades em parceria com a Fundação José Silveira”, anuncia Sydney Oliveira, da equipe de Coordenação do Social.

Requalificação

Na primeira etapa do projeto de Requalificação da Feira de São Joaquim foram entregues 397 unidades comerciais, entre bancas, boxes e pallets, assim como restaurantes e estacionamento. O espaço recebeu também a padronização das instalações físicas, execução do pátio de carga e descarga e passeio com rampas de limpeza, além da dragagem e aterro, recomposição do quebra-mar e instalação de um píer flutuante para receber as embarcações com turistas e mercadorias na enseada de São Joaquim.

Para o início da segunda etapa já foi desenvolvido o projeto básico de engenharia que está em fase de aprovação e irá contemplar a construção de mais 407 boxes, 53 pallets e 96 bancas.