Programa Estadual de Contenção de Encostas já beneficiou mais de 100 mil baianos

Área de Atuação
Habitação, Encostas e Macrodrenagem
Contenção de encosta realizada pelo Governo do Estado

Neste ano em que os órgãos de defesa civil registram o maior volume de chuvas dos últimos 30 anos na capital baiana, mais de 100 mil pessoas já podem dormir tranquilas em Salvador e Candeias, sem medo de deslizamento de terra. O Programa de Contenção de Encostas e Prevenção de Acidentes Naturais já entregou 59 obras. As intervenções foram realizadas por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). 

 
Segundo o diretor de Habitação e Urbanização Integrada da Conder, Mauricio Mathias, atualmente, há em andamento obras em mais 20 encostas, mais 25 serão iniciadas e oito estão em processo de licitação, totalizando 112 encostas dentro do programa. “A maior importância dessas intervenções é que elas são soluções definitivas para as áreas onde são realizadas, promovem segurança e preservam a vida das pessoas que moram nessas áreas de risco”, explica. 
 
O Governo do Estado investe R$ 156 milhões no programa. “Além das encostas, nós também fazemos obras complementares, escadarias, corrimões, parques, praças e acessibilidade”, ressalta o diretor. 
 
A maior encosta definitiva já construída em Salvador fica no bairro da Liberdade, com área de 20 mil metros quadrados, o equivalente a três campos de futebol. Foram investidos no local R$ 22 milhões, beneficiando cerca de duas mil pessoas. Para os moradores, ficam as lembranças das tragédias já ocorridas e a certeza de que não vão mais ocorrer. 
 
“Antes, era só lama descendo quando chovia. Em um deslizamento, morreram quatro pessoas, em outro, mais quatro. Hoje não tem mais esse problema e agora os imóveis estão valorizados”, destaca o líder comunitário Givanildo da Paixão, que mora no local há 37 anos. 
 
No Lobato, os moradores da Rua Nova Direta dispõem de um grande espaço, com paisagismo, academia da saúde, praça e campo de futebol. Para o eletricista Luis Antônio Pereira, 42, os deslizamentos de terra estão no passado. “Uma vez, a terra veio descendo rodeando este espaço todo. O banheiro, que era no fundo da casa, veio parar na frente, e o proprietário saiu correndo. Hoje a área está segura, com todo esse espaço aproveitado”. 
 
As amigas Jessica Santos, 28, e Jamile Almeida, 30, fazem ginástica diariamente no espaço. “Tem o ar livre, é bom para a saúde, o local é calmo, tranquilo, seguro. Gostamos muito”, afirma Jessica.