CONDER recupera fachadas no Centro Histórico de Salvador

Área de Atuação
Centro Antigo de Salvador

Imóveis do Centro Histórico de Salvador (CHS) estão tendo suas fachadas recuperadas. Diante da importância arquitetônico-histórica dessa área para a Bahia, a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder) realiza serviços de manutenção dentro da poligonal de tombamento da área. Só no Largo do Pelourinho - coração do Centro Histórico – fachadas de dez imóveis estão sendo recuperadas. A paleta de cores para a pintura é definida pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac). 

Embora a Conder não tenha como atribuição a conservação do Centro Histórico da capital baiana, a empresa vem atuando há muitos anos nessa região. A primeira responsabilidade dos imóveis é de cada proprietário, depois vem a administração municipal que é proprietária e faz a gestão do solo urbano da cidade e, por fim, o órgão que protege a área tombada, o IPHAN. “O importante para a Conder, para além das responsabilidades legais, é auxiliar na conservação desse importante conjunto urbano tombado como patrimônio brasileiro desde 1984, e chancelado pela UNESCO como patrimônio da humanidade”, explica o presidente da Conder, Zé Trindade.  

Considerando o perímetro do centro histórico, a Conder já construiu o maior edifício-garagem do Pelourinho com 10 pavimentos, requalificou vias importantes como a Rua Chile e a Rua Direita do Santo Antônio, promoveu projetos de habitação e recuperação de fachadas de imóveis, além de melhorias prediais no casario. No centro antigo, área extendida do centro histórico, a empresa também foi responsável pelo Projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, que requalificou mais de 200 vias em 11 bairros. Esse trabalho, que ainda está em andamento, já totalizou R$ 124 milhões em sete anos de trabalho. 

Segundo Zulu Araújo, coordenador do escritório da Conder no Centro Histórico de Salvador, os monumentos e as áreas protegidas pelo IPHAN ganharam chancelas federais entre os anos de 1938 e 1945. “Algumas das características mais importantes são os traçados das ruas, ladeiras e becos que formam um dos mais ricos conjuntos urbanos de origem portuguesa nas Américas”, completa. Os sobrados de dois ou mais andares e as soluções de implantação em terrenos acidentados são exemplos típicos da cultura lusitana. Este acervo arquitetônico e paisagístico do CHS possui cerca de três mil edifícios construídos nos séculos XVII, XVIII, XIX e XX. 

No bairro do Santo Antônio Além do Carmo, a Conder finaliza um projeto de paisagismo com plantação para manter a encosta verde, ao tempo que garante a segurança da contenção. A área fica ao lado do Túnel Américo Simas, atrás de 22 casarões da Rua Direita e em parte do declive no Largo de Santo Antônio. A Conder atua ainda nas áreas de mobilidade urbana, habitação, qualificação urbanística, equipamentos urbanos e edificações em todo o Estado da Bahia.