Reforma de São Joaquim chega à última etapa com melhorias para feirantes

Área de Atuação
Equipamentos e Qualificação Urbanística
Operário trabalha na reforma da Feira de São Joaquim

Melhor organização das barracas, mais espaço para circulação e armazenamento de mercadorias e, principalmente, higiene. Essas são as mudanças proporcionadas pela conclusão das duas primeiras etapas da reforma da Feira São Joaquim, em Águas de Meninos, na Cidade Baixa, com melhorias que atendem a feirantes e clientes. Assim destaca o barraqueiro Antônio de Deus, vendedor de bananas no atacado, já instalado no seu novo box, localizado no Pátio dos Grossistas.

“Eu trabalhava na lama. Agora, estou aqui neste tapete. Também foi muito bom porque saímos lá do fundo, onde era apertado e formava a maior confusão, e viemos para a área lateral, onde os caminhões entram mais fácil. Era para a gente estar aqui há muito tempo, mas chegou nossa hora”, comemorou Antônio.

Além do Pátio dos Grossistas, onde são feitas as vendas em grandes quantidades, a CONDER, responsável pela reforma, já entregou aos comerciantes o Galpão Água de Meninos, que abriga os feirantes durante as obras, e a enseada, beneficiado com limpeza e despoluição das águas, dragagem do canal e instalação de um píer flutuante para receber embarcações com mercadorias e turistas.

Nesta última etapa, os operários trabalham na demolição dos últimos boxes antigos e na construção dos novos, além da construção da infraestrutura de abastecimento de água, esgoto e iluminação. “Estava precisando de uma reforma mesmo. Estava tudo sujo, estragado, cheio de rato, então, a reforma vai melhorar bastante”, disse Maria de Lourdes Moreira, que trabalha na feira há 20 anos e nunca tinha visto obra semelhante no local.

Patrimônio imaterial

São Joaquim é a mais tradicional feira de produtos populares do estado. Ela ocupa uma área de 37 mil metros quadrados e reúne num só lugar segmentos da gastronomia, religião e artesanato baiano. Como referência cultural, foi indicada para ser Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A reforma tem previsão de terminar em 2014. Além de melhorar a vida de quem vende e compra na feira, ela vai transformar São Joaquim em mais um ponto turístico do estado, como defende o secretário do Turismo, Domingos Leonelli. “Essa é uma feira única, que fica na beira do mar, tem sete mil trabalhadores e tudo que o turista quer. Na verdade, é uma dose concentrada da Bahia e, com a estrutura que estamos montando, tenho certeza que São Joaquim vai se tornar um dos principais cartões postais do estado”.

Fonte: Secom

Termos