No dia de São Bartolomeu, Conder promove atividades no parque que recebe o mesmo nome do santo

Área de Atuação
Parques e Equipamentos Urbanos

 

O Parque São Bartolomeu, administrado pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), foi palco de uma série de atividades culturais e esportivas na manhã desta quinta-feira (24), em homenagem ao dia de São Bartolomeu, santo católico que dá nome ao local. 


Entre as atrações, se apresentaram a Camerata da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), a Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA), com a exposição de animais taxidermizados, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), com palestra sobre o Zoológico de Salvador, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), com a apresentação do Museu do Sanemanto, além da realização de trilha ecológica conduzida pela Conder.

No dia de São Bartolomeu, Conder promove atividades no parque que recebe o mesmo nome do sant
João Gabriel e sua colega Amanda de Santana


Mais de 200 alunos de escolas particulares e Organizações Não Governamentais (ONGs) da capital baiana participaram da programação no parque. Para a profesosra da ONG Sociedade Irmão Solidário, Taíse Batista, esta foi uma excelente oportunidade para mostrar na prática o que os alunos aprendem nos livros e em sala de aula. “É muito enriquecedor estar aqui hoje e poder proporcionar esse momento aos nossos alunos. Aprender na prática, em contato com a natureza, e especialmente com os animais, a importância de respeitar e preservar o meio ambiente”, afirmou Taís.   

O coordenador de Eventos do parque São Bartolomeu, Vandson Teixeira, explicou que a iniciativa tem como objetivo criar uma experiência de educação e entretenimento para comunidade. “As preocupações ambientais estão cada vez mais urgentes, por isso, atividades como as que desenvolvemos aqui no parque atraem cada vez mais a atenção e a presença das pessoas”, afirmou.
O público jovem esteve bastante entretido com a camerata da OSBA, “um projeto da Orquestra Sinfônica da Bahia que leva a música erudita para espaços onde a orquestra não pode ir”, explicou o violinista Rogério Fernandes; e também com a palestra da bióloga Samanta Grimaldhi, que falou sobre o funcionamento do Zoológico de Salvador. “O Zoo é um espaço nosso, e precisa ser valorizado enquanto um local de preservação de animais ameaçados de extinção. É muito importante trazer essa reflexão para um público que está em formação, como essas crianças e adolescentes”, disse Samanta.


Para João Gabriel, aluno do projeto Cluberê da Sociedade Primeiro de Maio, o Baobá, árvore de grande porte proveniente das estepes africanas e considerada por muitos como uma espécie de árvore da vida, foi a grande atração do dia. “Eu gostei de praticamente tudo, até dos animais empalhados. Gostei da orquestra, que me lembrou uma música do Tik Tok. Fizemos a trilha até a cachoeira, e o que eu mais gostei de ter visto foi o Baobá”, explicou Gabriel.


As atividades integram a nona edição do projeto Lazer Cultural no Parque e seguem até o dia 27 de agosto com a caminha alusiva ao Dia da Capoeira, coordenada pelo Grupo de Capoeira Nova História.

Termos