Governo do Estado vai investir R$ 142 milhões para modernizar 11 colégios estaduais de Salvador

Área de Atuação
Equipamentos e Qualificação Urbanística

O Governo da Bahia deu mais um passo na política de reestruturação física das unidades escolares do estado. Em sua 2ª etapa, o projeto Construir para Educar vai modernizar 11 colégios tradicionais da rede estadual de Salvador, beneficiando mais de 15 mil estudantes. O governador Jerônimo Rodrigues assinou a autorização para o início das licitações na tarde desta segunda-feira (15), no Colégio Estadual de Tempo Integral Prof. Rômulo Almeida, no bairro do Imbuí, na capital. O investimento é superior a R$ 142 milhões. 

O vice-governador Geraldo Junior também prestigiou a cerimônia, que contou com a presença de alunos e professores das escolas contempladas. Serão beneficiados os colégios Rotary (Itapuã); Mário Costa Neto (Federação); Heitor Vila Lobos (Cabula VI), Edgar Santos (Garcia); Manoel Devoto (Rio Vermelho); Helena Magalhães (Tancredo Neves); Duque de Caxias (Liberdade); Dinah Gonçalves (Valéria); Almirante Barroso e Edson Tenouro (Paripe) e Aliomar Baleeiro (Pernambués). 

Governo do Estado vai modernizar 11 colégios estaduais de Salvador
Governo do Estado vai modernizar 11 colégios estaduais de Salvador

O projeto será realizado por meio da Secretaria de Educação (SEC) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder). As unidades passarão a oferecer espaços com alto padrão de engenharia, que favorecem a educação em tempo integral, com implantação de restaurante, teatros, reforma e construção de novas quadras poliesportivas cobertas ou ginásios.

De acordo com o governador, o edital será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (16). “Em um mês nós teremos a apresentação de proposta das empresas. Em um mês e meio nós estaremos, com fé em Deus, já dando a ordem de serviço. São escolas aí com obras em torno de 10 meses, 11 meses, então no meado do ano que vem, essas escolas já estarão sendo entregues”, explicou Jerônimo.

O governador reforçou que o conjunto de investimentos deve alavancar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). “Tem um conjunto de diversidade, porque você tem quadras a serem cobertas, laboratórios, salas a serem construídas, montagem de teatro. Tenho certeza que juntando os programas de valorização de professores, concursos, salários, pagamento de precatórios, tudo isso, animará a rede para que a gente possa surtir um bom efeito no IDEB de 2024”, acrescentou.

No total, a 2ª etapa do Construir para Educar vai aplicar R$ 1,5 bilhão. “É uma série de unidades escolares que têm muito impacto na nossa rede. São escolas de 30, 50 anos, que a gente vai chegar com um aporte de reforma completa porque a gente sabe que uma escola com uma infraestrutura física que atenda a diversidade dos nossos estudantes tem impacto direto na aprendizagem deles”, destacou a secretária da educação Rowenna Brito.

Nesta 2ª etapa do Construir para Educar, além de Salvador, o interior do estado será contemplado com R$ 658 milhões em obras e R$ 700 milhões em convênios com prefeituras. “Nós vamos ter essa preocupação em fazer essas escolas todas elas climatizadas, todas elas com energia solar, ou seja, equipamentos para dar esse conforto aos estudantes, professores e funcionários”, destacou o presidente da Conder, José Trindade.

A 1ª etapa do programa contemplou 79 obras, em 44 municípios de 17 Territórios de Identidade, com o investimento de R$ 1,3 bilhão. Do total, serão 28 novas unidades, em 25 municípios; 10 ampliações em nove municípios: 26 modernizações, em 10 municípios; e 15 reformas, em sete municípios. Um total de R$ 1,3 bilhão foi direcionado aos projetos. 

Somando as duas etapas, cerca de R$ 2,8 bilhões serão investidos na construção de novas escolas, reformas e restauração da infraestrutura educacional em toda a Bahia, através do Construir para Educar. Dentre outras iniciativas, entre 2019 e 2025, o Governo da Bahia investiu R$13,7 bilhões na educação estadual, sendo R$8 bilhões em obras e R$5 bilhões em programas de apoio a estudantes, como o Programa Estadual de Transporte Escolar (Pete), Bolsa Presença, Mais Estudo, Dignidade Menstrual, Mais Futuro, entre outras assistências.